365 dias para um homem melhor #3

3

A primeira briga interna

Especialistas dizem que para alguma coisa virar um hábito você deve fazer essa coisa por 21 dias ininterruptos, e isso não é nada fácil quando estamos falando de uma máquina que não se mexe há quase 3 anos 😪

Estou no meu terceiro dia de mudança de hábitos, e hoje tive minha primeira dificuldade, eu simplesmente não consegui dormir a noite, não sei o motivo, só estava pregado e a última vez que olhei o relógio eram 3 horas da manhã.

Então eu já podia imaginar que levantar às 5:30 não seria uma tarefa fácil, até porque levantar nesse horário é uma questão de escolha, então ao tocar do despertador meu cérebro e meu corpo não queriam de jeito nenhum levantar da cama, falando pra mim mais ou menos assim:

Cérebro – Gabriel, nós dormimos menos de 3 horas essa noite, vamos descansar e amanhã voltamos a programação normal.

Corpo – É Gabriel, estou com muita dor devido aos 2 dias de corrida que fizemos, acho melhor dormirmos um pouco mais e amanhã recuperamos.

Eu dei ouvidos a esses dois por muito tempo, e eu não podia mais fazer isso.

Foi uma briga intensa pra me convencer que não, eu precisava levantar, eu não podia dar ouvidos ao que meu cérebro e meu corpo estavam pedindo, se eu desse ouvidos pra eles hoje, amanhã eles pediriam de novo e assim meu objetivo de mudar estaria cada vez mais longe e eu estaria logo logo entregue à inércia novamente.

O cérebro humano é programado para evitar o esforço, por que você acha que é tão difícil para quem não está habituado ler um livro, estudar, aprender algo novo, sair do automático?

Seu cérebro não quer fazer esse esforço, ele quer poupar energia para os momentos de perigo que virão.

Ok cérebro, isso até seria útil se eu ainda morasse numa caverna e tivesse que enfrentar dinossauros para me alimentar.

Então levantei, meio tonto, parecia que estava de ressaca, botei os tênis e saí sem dar ouvidos a mais nada, apenas pensando no meu objetivo.

Fones de ouvido e música eletrônica no volume mais alto, é preciso se municiar de incentivos.

35 minutos depois eu já estava em casa, com aquela sensação de dever cumprido, com dor, com sono, mas sem a culpa de ter me rendido novamente ao que minha mente e meu corpo pediam.

Eu não cedi, eu venci, por hoje eu venci, tipos alcoólicos anônimos sabe “só por hoje” 😅.

Outros momentos assim virão com certeza, principalmente no início, mas eu sei que a preguiça, o sono e a dor são passageiros. Eu só preciso de 21 dias sem aceitar, sem dar desculpas, chega de me sabotar.

Sobre o Autor

Gabriel Dutra

Empreendedor, profissional de mídias sociais, designer gráfico, viciado em tecnologia, apaixonado por ciência comportamental e vivendo intensamente um desafio de mudanças radicais de hábitos em 365 dias.

Sobre mim

Empreendedor, profissional de mídias sociais, designer gráfico, viciado em tecnologia, apaixonado por ciência comportamental e vivendo intensamente um desafio de mudanças radicais de hábitos em 365 dias.

Conecte-se comigo

Artigos

Categorias